Apesar de ter mantido todas as lojas fechadas por cerca de 70 dias, no primeiro semestre de 2020, em cumprimento às orientações sanitárias para o enfrentamento da covid-19, a rede Lojas CEM não interrompeu o planejamento feito anteriormente à pandemia. Com a meta de inaugurar anualmente de 10 a 12 lojas, a rede se mantém firme no propósito de valorizar o comércio presencial e descarta planos para ingressar no comércio eletrônico. A meta da administração, totalmente familiar, é chegar a 300 lojas em funcionamento até 1º de julho de 2022, quando a rede completa 70 anos.

Lojas Cem

Lojas Cem

Veja a cobertura completa do Valor 1000 (https://valor.globo.com/valor-1000/)

“Ao longo dos anos, temos capitalizado a empresa. Distribuímos muito pouco dividendo e o resultado fica dentro da empresa. Vendemos, temos resultados, mantemos o resultado na empresa, e esse resultado permite a expansão. Há alguns anos, a empresa inaugura de 10 a 12 lojas por ano. Essa programação está mantida. A meta é termos 300 lojas abertas até 1º de julho de 2022, quando a empresa completará 70 anos”, diz Natale Dalla Vecchia, sócio-diretor e filho mais velho do fundador da Lojas CEM, Remígio Dalla Vecchia, conhecido como “seu Gino”, falecido em 2005.

Natale Dalla Vecchia, sócio-diretor da Lojas CEM (segundo da esq. para a dir.) — Foto: Juan Photo Studio/ Divulgacao

Com receita líquida de R$ 4,3 bilhões em 2020, apesar de ter interrompido as vendas por quase três meses, a Lojas CEM manteve o apetite de reinvestimento. O desempenho de 2020, segundo a direção da empresa, composta por quatro sócios com participações iguais, foi equivalente ao ano anterior (-0,4%). Anualmente, a rede distribui menos de 10% do lucro (R$ 593,4 milhões em 2020), reinvestindo o restante em capital de giro na aquisição e na construção de imóveis para instalação de lojas. Com mais de 1.400 metros quadrados de área construída, cada loja da rede é reformada em intervalos de dez anos. “Nosso crescimento médio gira em torno de 10% a cada dez anos. Isso significa dobrar vendas a cada sete anos, aproximadamente. Procuramos manter esse nível de crescimento, porque achamos ser saudável, sustentável”, diz Natale Dalla Vecchia.

Parte do capital reinvestido é destinada à modernização dos ativos. Antes da pandemia, a empresa começou a investir na geração de energia solar para consumo próprio. Segundo Cícero Dalla Vecchia, sócio-diretor da Lojas CEM e irmão de Natale, a meta é instalar painéis de energia fotovoltaica em todas as lojas que comportarem este tipo de instalação. No Centro Administrativo e de Distribuição (CAD), que tem mais de 230 mil metros quadrados, está instalada uma das maiores usinas de energia solar em área suspensa em funcionamento no país, de acordo com os diretores da Lojas CEM.

Com lojas nos Estados de São Paulo (224), Minas Gerais (24), Rio de Janeiro (22) e Paraná (18), sendo 285 próprias, a rede não será expandida para outros Estados. Segundo Cícero Vecchia, a inauguração de lojas fora dos quatro Estados onde a rede atua hoje é inviabilizada pela distância do CAD. Construído na sede da empresa, em Salto (SP), o CAD tem dois galpões destinados ao armazenamento de mercadorias, cada um com 116.600 metros quadrados.

“A logística é muito importante no nosso negócio. A experiência ao longo de todos esses anos nos fez aprender a trabalhar com agilidade, não temos estoques excessivos. Se comparar com nossos concorrentes, eles têm muito mais dias de estoque do que nós. A gente trabalha, em geral, com 60, 70 dias”, afirma Cícero Vecchia.

A agilidade e a logística inteligente no abastecimento das lojas contribuem para que a rede mantenha o compromisso de entregar as mercadorias em até dois dias úteis, sem qualquer custo para o cliente. De acordo com a diretoria da Lojas CEM, diariamente estão envolvidos na logística para entrega de mercadorias aos clientes cerca de 400 caminhões.

Esta agilidade na entrega também está relacionada à decisão estratégica em abrir mão da frota própria, que mantinha entre as décadas de 1950 e 1970, quando a Casa de Bicicletas Zanni & Dalla Vecchia começou a se transformar em Lojas CEM (Centro de Eletrodomésticos e Móveis). “Fizemos essa mudança em 1976, no momento em que ninguém falava em terceirização de entregas de mercadorias”, ressalta Cícero Dalla Vecchia.

O CAD da Lojas CEM foi planejado para garantir conforto aos transportadores que efetuam descarga e recarga de mercadorias. A área do CAD compreende um estacionamento para 700 caminhões, além de um posto de combustível, restaurante, banheiros com chuveiro e sala de repouso para os motoristas.

Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) apontam um crescimento do comércio varejista no segundo trimestre de 2021. A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) mostra alta de 3% das vendas no fim do segundo trimestre. A estimativa do Ipea para julho, com relação ao varejo, é de estabilidade, com provável recuo de 0,4%. Em meio a esse cenário de instabilidade, com a alta contínua da inflação, a estratégia da Lojas CEM é manter os preços baixos, à vista e a prazo, com a menor taxa de juros.

Com crediário próprio, a Lojas CEM não se habilita para empréstimos concedidos por bancos e outras instituições de crédito. Cícero Vecchia afirma que, em média, o crediário da loja cobra 2% de juros ao mês. Ele conta que, durante a pandemia, como as prestações são quitadas nas filiais, os clientes que tinham parcelas com vencimento no período em que as vendas estavam interrompidas puderam pagar o carnê na reabertura das lojas sem qualquer ônus, ou seja, pagaram sem juros. Até agosto de 2021, os clientes ativos da Lojas CEM ultrapassavam 14 milhões, segundo a direção da rede.

Colaboradores das Lojas CEM no Centro de Distribuicao da empresa — Foto: Julio Bittencourt/Valor

“Isso garante a fidelização do cliente. Dividimos a compra em, no máximo, 14 vezes, porque procuramos uma maneira que seja segura para o consumidor e para nós. Nosso objetivo não é ganhar na venda a prazo. O importante é atendermos bem o cliente e que ele consiga pagar o crediário, porque ele compra outra vez”, detalha Cícero Vecchia.

Outro foco da gestão são os cerca de 11 mil funcionários. Segundo Cícero Vecchia, a empresa oferece, em média, 70 mil horas de treinamento por ano aos funcionários para favorecer a ascensão na carreira. Com a pandemia, o ritmo diminuiu, mas já estamos retomando, diz o diretor. Não houve demissões.

De acordo com a direção da Lojas CEM, a cada inauguração de loja, são criados, em média, 50 postos de trabalho, diretos e indiretos. Com exceção do gerente e do assistente de gerência, necessariamente profissionais de carreira da empresa, as contratações nas filiais priorizam quem mora na região onde estão instaladas. “Todo mundo tem a mesma chance de crescer na empresa”, diz Cícero Vecchia.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Entretenimento

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

‘Um passo para um homem, um salto para os evangélicos’, diz Mendonça após aprovação para o STF

BRASÍLIA — Aprovado no Senado para a vaga de ministro no Supremo Tribunal Federal (STF), A…