Um motorista de aplicativo Uber de 34 anos passou por momentos de terror na tarde de domingo (20), em Campinas (SP). Alvo de um assalto, ele acabou sequestrado e mantidos refém no porta-malas de um Chevrolet Prisma Preto. Ele foi libertado por um policial militar de folga e um guarda.

Após o PM e seu pai que é guarda saírem de uma comemoração  familiar, foram surpreendidos por um carro em alta velocidade, quase colidindo frontalmente pela Estrada do Fogueteiro, no limite de municípios entre Indaiatuba e Campinas, que ao desviar do veículo onde estava os policiais bateram em um barranco, em seguida desceram três jovens, sendo que dois deles estavam com as armas em punho. Os agentes não sabiam o que estava ocorrendo, e ordenaram que eles  largassem as armas, mas os criminosos não obedeceram, e iniciou-se uma troca de tiros. Um deles foi atingido no abdômen e ferido  caiu no chão, outros dois fugiram entrando em uma área de vegetação.

No porta-malas do veículo, a vítima gritou por socorro e foi localizada e libertada pelos policiais. O motorista do aplicativo não sofreu nenhum tipo de ferimento. Já um dos bandidos foi socorrido com ferimentos a bala, para o pronto socorro do hospital Mário Gatti. Com apoio da PM de Indaiatuba e Campinas o outro assaltante foi encontrado durante as buscas, ele foi apreendido e conduzido a 2ª Delegacia Seccional de Campinas. Os bandidos foram identificados todos sendo menores e suspeita-se que são moradores de Indaiatuba. Dentro do veículo foi encontrado e recuperado R$ 370, maquininha de cartão e um aparelho celular todos de propriedade da vítima. Uma replica de arma de fogo também foi apreendida.

“Eu gostaria de agradecer primeiramente a Deus e o PM de folga Alvarenga e seu pai Guarda Civil de Barueri que salvaram a minha vida me retirando do porta-malas, e também a PM de Campinas e Indaiatuba, foram muitos prestativos, e todos estavam empenhados de capturar os bandidos”, diz em conversa com o Comando Notícia. Só não gosta de polícia quem não presta, a polícia é para a pessoa de bem, e ela me serviu. Eles são massacrados sempre por muitas pessoas da sociedade.”

Por Comando Uno

Foto/ informações: Polícia Militar

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Mesmo com pandemia, PAT de Jundiaí recoloca mais de 1,5 mil trabalhadores

O Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) de Jundiaí, recebe entre 200 a 400 acessos por…