A cidade de Campinas (SP) acumulou 36.512 pedidos de seguro-desemprego durante os meses de maior restrição da quarentena para conter o novo coronavírus em 2020. Dados do Ministério da Economia apontam que houve alta de 14,3% no período – segunda quinzena de março até fim de setembro – em relação a 2019.

Os meses de abril, maio, junho e julho foram os que concentraram o maior número de requisições. Também foi o momento da quarentena em que a cidade teve a economia mais afetada, com comércios e serviços fechados e atividades restritas.

Os últimos 60 dias, no entanto, mostram uma queda nos pedidos do seguro, paralelamente à maior flexibilização dos setores, respeitando as regras do Plano São Paulo do governo estadual. Atualmente, Campinas está na fase verde, com parques, clubes, comércio, cinemas e escolas autorizados a funcionar.

A metrópole já registrou 35.596 casos positivos de coronavírus, sendo 1.279 mortes de moradores que tiveram a doença desde o início da pandemia até o boletim epidemiológico desta quinta-feira (15).

Requisições pela web

O serviço do seguro-desemprego pode ser solicitado pela internet no portal gov.br ou no aplicativo Carteira de Trabalho Digital. A partir da segunda metade de março, houve um salto na alternativa online em Campinas, devido ao início do isolamento domiciliar e ao atendimento presencial restrito.

Aplicativo continua sendo o canal para dar entrada no seguro-desemprego — Foto: Divulgação/ME

Só em maio, mês de pico de pedidos, 7.633 requisições foram protocoladas pela web, enquanto 812 foram presenciais. Ao todo, 8.445 solicitações em 30 dias.

Em setembro, o serviço presencial voltou a ter aumento na procura, com 949 registros. Mas ainda longe das requisições online: 4.089.

“As Superintendências Regionais do Trabalho do governo federal reforçaram as ações para garantir o atendimento não presencial aos cidadãos durante o período da pandemia da covid-19.”, informou o órgão.

Desempregados no ano

O total de profissionais que perderam emprego em 2020 e protocolaram seguro-desemprego de janeiro a setembro em Campinas foi de 48.122. O dado representa alta de 9,93% no número de requerentes frente ao registrado no mesmo período em 2019, 43.775 pessoas.

O aumento na cidade superou a média nacional. Em nove meses, foram contabilizados 5.451.312 pedidos de seguro-desemprego no Brasil. Alta de 5,7% na comparação com o acumulado no mesmo período de 2019, quando foram 5.157.026. “A pandemia é a principal causa para o aumento”, disse o governo federal.

Com informações G1 Campinas
 Foto: Minne Santos
Foto: Divulgação/ME

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Indústria da região de Jundiaí gera cerca de 2 mil novas vagas de emprego em setembro

O Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) divulgou nesta sexta-feira (31…