Vacinação de idosos no Centro de Eventos em Fortaleza sendo registrada por familiar. No país, casos de não aplicação foram registradas em seis municípios, nenhum no Ceará até o momento (Foto: JÚLIO CAESAR)
Vacinação de idosos no Centro de Eventos em Fortaleza sendo registrada por familiar. No país, casos de não aplicação foram registradas em seis municípios, nenhum no Ceará até o momento (Foto: JÚLIO CAESAR)

Desde o início da vacinação contra a Covid-19, no Brasil, no dia 18 de janeiro, casos de não-vacinação em idosos foram registrados no País. A não aplicação da vacina foi apontada em seis municípios: Rio de Janeiro (RJ), Niterói (RJ), Petrópolis (RJ), Goiânia (GO), Maceió (AL) e em Salto (SP). As denúncias foram feitas por parentes e acompanhantes através de vídeos gravados no ato da aplicação. No Ceará, nenhum caso foi anotado até o momento.

Na última sexta-feira, 12, três idosos que estiveram em tendas de vacinação na Zona Oeste do Rio, em Niterói, Região Metropolitana, e em Petrópolis, na Região Serrana, não receberam o imunizante. Em Niterói, é possível ver em vídeo uma técnica de enfermagem colocando apenas a ponta da seringa em um idoso. No momento da aplicação, a profissional não empurra o êmbolo para injetar o líquido.

Familiares perceberam que o imunizante não havia sido aplicado após assistirem ao vídeo da vacina somente quando chegaram em casa. O caso foi levado à Prefeitura do município, que informou que a técnica de enfermagem foi afastada e que o idoso recebeu a vacina em casa após o acontecido.

Leia Também | Veja lista de idosos que serão vacinados em Fortaleza nesta segunda-feira, 15

Rio de Janeiro

Na cidade do Rio de Janeiro, a família de uma idosa também registrou a imagem do momento da aplicação da vacina, e percebeu que a dose não havia sido imunizada. Na ocasião, um familiar chamou atenção do profissional de saúde. Só assim a seringa foi novamente injetada e a vacina aplicada. O caso também aconteceu na última sexta-feira.

No outro dia, a família procurou a coordenação do posto de vacinação, que informou que apuraria os casos de não-vacinação. Conforme a Secretaria Municipal dA Saúde do Rio, o que houve foi uma intercorrência na aplicação da dose em um paciente, mas que a situação teria sido imediatamente resolvida. Ainda segundo o órgão, vídeos e fotos são permitidos na hora da vacina e que, em caso de dúvida sobre a aplicação, os familiares questionem imediatamente os profissionais de saúde.

Petrópolis (RJ)

Uma idosa de 94 anos acreditou ter recebido a vacina, mas a seringa estava vazia. Também por meio de vídeo, foi possível ver a técnica em enfermagem tentando tirar a proteção da agulha da seringa. Um familiar que estava gravando o momento pediu para que a profissional trocasse a seringa. Em seguida, a técnica se dirigiu à tenda montada e pegou outra seringa. No entanto, ao retornar, a seringa ainda sem dose foi aplicada na idosa.

Em nota, a prefeitura de Petrópolis confirmou que a seringa estava vazia. A prefeitura também afirmou que entrou em contato com o familiar da idosa e já realizou a aplicação do imunizante na paciente. A técnica de enfermagem é contratada pela prefeitura e também foi afastada. Segundo o órgão, ela seria ouvida nesta segunda-feira, 15, pela administração municipal.

Leia Também | Rio: município vai suspender vacinação contra covid-19 na quarta-feira

Goiânia (GO)

Na última quarta-feira, 10, a idosa Floramy de Oliveira Jordão, de 88 anos, foi receber a primeira aplicação da vacina contra a Covid-19, em Goiânia (GO). No entanto, o momento não foi realizado e foi registrado por meio de uma filmagem da filha da aposentada, Luciana Jordão, de 57 anos. Segundo ela, a profissional enfiou a agulha no braço da idosa, mas não injetou a dose do imunizante.

Luciana relata que a agente de saúde respondeu que havia vacinado, mas, ao ser confrontada sobre o líquido estar na seringa, pediu desculpas e disse que não tinha percebido. 

Em nota, a Secretaria da Saúde de Goiânia informou, após a reclamação, que iria “averiguar imediatamente o ocorrido e esclarece que há vacinas garantidas para todas as pessoas acima de 85 anos e que abomina todo e qualquer tipo de irregularidade”. 

Maceió (AL)

Uma profissional de saúde de Maceió foi afastada, no dia 28 de janeiro, após não aplicar corretamente a vacina contra a Covid-19 em uma idosa de 97 anos. A falha foi registrada em vídeo, o qual foi divulgado nas redes sociais. Secretaria da Saúde do município confirmou o caso.

A idosa, acompanhada de motorista e cuidadora, se encaminhou até um posto de vacinação para receber o imunizante. Segundo a neta da idosa, Andrea Maranhão, o vídeo foi compartilhado em um grupo da família. “O intuito de filmar foi comemorar, mesmo porque ela está há muito tempo em isolamento, dentro de casa. E ela é muito alegre, gosta muito de sair, de se divertir”, disse. Mas a celebração pela vacina virou surpresa e aborrecimento.

Após o compartilhamento, um parente médico percebeu que a dose não havia sido aplicada na mulher. A neta, então, ligou para a cuidadora, que retornou ao local da imunização com a idosa. A coordenadora do posto até questionou o retorno, mas, ao assistir ao vídeo, liberou uma nova aplicação.

De acordo com a pasta municipal, ocorreu uma “falha humana” no momento da aplicação do imunizante, que realmente não chegou a ser aplicado na ocasião. A prefeitura da capital alagoana tratou o acontecido como um “caso isolado”, mas afirmou que “tomou ciência com indignação”.

Leia Também | Idosos de Fortaleza podem mudar local de vacinação a partir desta sexta-feira, 5

Salto (SP)

Uma enfermeira aplicou a vacina contra Covid-19 em um idoso de 80 anos após perceber que a seringa estava vazia na primeira tentativa durante a vacinação por drive-thru. Em nota, a prefeitura afirmou que foi um problema ocasional e que não há golpe na vacinação municipal. Neste caso, a profissional percebeu que não havia injetado a dose do imunizante. O reconhecimento do erro foi registrado em vídeo.

“Na hora, foi ela que falou. Ela tirou a agulha, olhou por um tempo e logo em seguida já pediu desculpas. Disse que ia aplicar outra. Não sei se eu estar filmando influenciou em algo. Mas nos disseram que realmente foi um equívoco ali na hora”, disse Edson Martinho, filho do idoso. As informações são do portal G1.

No Ceará, “vídeo editado”

No Ceará, no dia 20 de janeiro, um vídeo sobre a vacinação contra Covid-19, no município de Quixadá, circulou nas redes sociais informando sobre uma falsa vacinação na região. Nas imagens, a secretária da Saúde do Município, Benedita Oliveira, aparece sendo vacinada, mas no ato da aplicação do imunizante não se vê a dose sendo injetada, conforme as imagens do vídeo.

Leia também | Fortaleza tem doses suficientes para vacinar menos de 10% dos idosos cadastrados no Vacine Já

Em nota enviada ao O POVO na época, a Prefeitura informou que o vídeo que circula é editado e não se trata de um conteúdo confiável. O órgão divulgou vídeo em que mostra um profissional de saúde preparando a dose da vacina aplicada.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Maratona do CIEE com 12 mil vagas de estágio termina nesta sexta-feira (26)

Jovens e adolescentes em busca de uma oportunidade no mercado de trabalho podem conferir a…