Em falta nas farmácias e supermercados, o álcool em gel teve altas de até 300% no varejo nas últimas semanas diante do aumento da procura pelo item durante a pandemia do novo coronavírus.

Grandes empresas de cosméticos, bebidas e produtos de limpeza e até universidades se mobilizaram para ampliar a produção e também doar o cobiçado produto a comunidades carentes e hospitais.

A Natura & Co firmou em março parceria com o Grupo São Martinho e destinou 15 toneladas de álcool em gel e 150 mil litros de álcool em solução 70% à Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. Também foi anunciado o uso das fábricas em Cajamar (SP) para o envase de cerca de 75 mil frascos de álcool em gel e cerca de 500 mil frascos de álcool líquido 70%.

A produção é compartilhada com a Raízen, que doou o álcool líquido para o envase, e tem o apoio de parceiros como BASF, Prakolar, Avery Dennison, Raízen, Trizy, Box Print, Gráfica 43 e All4labels.

“Temos como prioridade cuidar das pessoas, seja garantindo que nossos colaboradores fiquem em casa ou cuidando para que a nossa rede de representantes e consultoras possa se manter ativa”, afirma Ana Costa, vice-presidente jurídica da Natura. “É fundamental unirmos forças no combate ao coronavírus.”

A empresa também prevê a doação de 75 mil frascos de álcool em gel para o Hospital das Clínicas e 110 mil sabonetes para o programa de voluntariado do Hospital Albert Einstein.

Outras gigantes de cosméticos fizeram doações, como a L’oréal Brasil, que está produzindo 750 mil unidades de álcool em gel para hospitais públicos e comunidades do Rio e de São Paulo.

A Hinode anunciou a distribuição de 1,4 tonelada do produto para hospitais e 4 toneladas para comunidades carentes. O grupo Boticário vai destinar 216 toneladas de produtos de higiene, entre eles o álcool em gel, para famílias de maior vulnerabilidade social, governo e rede pública de saúde do Paraná e da Bahia.

“Sabemos de nossa responsabilidade social e estamos mobilizando frentes de trabalho externas, que visam ajudar a população brasileira com doações de produtos de higiene e alimentos”, diz Marília Rocca, CEO do Grupo Hinode.

No ramo dos etílicos, a Ambev foi pioneira. Ainda em março, a cervejaria anunciou que usaria suas linhas de produção em Piraí (RJ) e Jaguariúna (SP) para distribuir 500 mil unidades de álcool em gel para São Paulo, Rio de Janeiro e Distrito Federal.

No começo de abril, a detentora da Brahma e Skol dobrou sua produção para 1 milhão de unidades, a serem distribuídas pelas 27 federações do Brasil.

A entrega será feita às Secretarias de Saúde de cada Estado, responsáveis por decidir quais hospitais receberão o produto.

O Instituto Brasileiro da Cachaça (Ibrac) também anunciou que, por parte de fabricantes associados, serão doados 77 mil litros de álcool etílico hidratado a 70% para uso do Sistema Único de Saúde (SUS) nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Ceará, Alagoas e Rio Grande do Sul.

A academia também entra na luta do álcool em gel. A BR Distribuidora doou etanol para universidades de várias capitais brasileiras produzirem álcool 70%, a ser utilizado na higienização de macas, corredores, elevadores e demais instalações de seus hospitais.

Segundo Rafael Grisolia, CEO da companhia, o combate ao coronavírus é uma luta de todos e, por isso, a BR está a postos para contribuir com o que for necessário.

“O espírito neste momento deve ser de consciência, colaborativo e de solidariedade para juntos enfrentarmos esta crise tão séria que ameaça a nossa saúde e a de nossos entes queridos”, diz.

Na Universidade Federal do Alagoas (Ufal), professores e estudantes do Instituto de Química estão produzindo álcool 70%, álcool gel e hipoclorito de sódio 1% para doar a hospitais e instituições que atendem a idosos e moradores de rua na prevenção ao coronavírus.

O trabalho é voluntário e a expectativa é de produzir 2 toneladas de álcool gel, 10 mil litros de álcool 70% e mil litros de hipoclorito de sódio.

Outros itens de higiene, pouco acessíveis e no momento extremamente necessários, também estão sendo distribuídos pelas grandes marcas. A própria Natura, junto com a Avon, se comprometeu a distribuir 2,8 milhões de sabonetes pela América Latina.

Até agora, mais de um milhão de unidades já foram entregues, beneficiando instituições como Cruz Vermelha, Hospital São Paulo, Cufa (Central Única de Favelas).

A Unilever anunciou nesta segunda-feira (13) que doará 50 toneladas de itens de limpeza profissional para hospitais públicos de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Segundo Gerardo Rozanski, presidente da Unilever Brasil, o momento é crítico e exige cuidados redobrados com a higiene pessoal e limpeza dos ambientes.

“Esperamos que os nossos produtos contribuam para manter a segurança nos hospitais por onde passam milhares de pessoas diariamente”, afirma.

A Minuano divulgou recentemente três grandes doações para famílias carentes e profissionais de saúde nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Goiás, totalizando 389 toneladas de produtos de limpeza —816 mil itens.

Também do ramo de higiene, a Ypê vai doar 21 toneladas de sabão para moradores da favela de Paraisópolis, em São Paulo. Equivalente a 100 mil barras do produto, a quantidade distribuída é suficiente para atender a todas as famílias da comunidade por dois meses.

A fabricante de detergentes pretende fazer o mesmo na comunidade do Alemão, no Rio de Janeiro. Sem se dar por satisfeita, a marca também anunciou em suas redes sociais a adaptação de uma de suas linhas de produção em Amparo (SP) para produzir unidades de álcool em gel, a serem distribuídas a entidades de saúde.

A P&G também doou 30 toneladas de produtos de todas as suas marcas presentes no Brasil, entre elas Gillette, Pantene, Pampers, Always, Oral-B, Ariel e Downy, por meio da parceria com a Cruz Vermelha Brasil e com o movimento UniãoBR.

“Passamos por um momento único na história e, com ele, enfrentamos muitos desafios pela frente. As pessoas são a nossa prioridade, por isso estamos a postos para atuar como uma força para o bem em prol de nossos colaboradores, consumidores, clientes e a comunidade”, afirma Juliana Azevedo, presidente da P&G Brasil. “Queremos fazer parte da solução e estamos cuidando de cada um nesse processo.”

As doações via Cruz Vermelha, que somam cerca de R$ 2,5 milhões em produtos, visam ajudar a proteger famílias que vivem em comunidades mais vulneráveis dos impactos do Covid-19. ​

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Leitos de UTI para Covid são instalados na Santa Casa

Na manhã desta quarta-feira (20/01), houve a entrega oficial de mais 10 leitos de UTI para…