Empreendedores ampliam busca por conhecimento

Divulgação

Empreendedores ampliam busca por conhecimento

A pandemia da Covid-19 intensificou a busca por ajuda e conhecimento por parte dos empreendedores de primeira viagem e de donos de pequenos negócios já consolidados. É o que mostra os números do Sebrae-SP. A procura por consultorias a distância triplicou: de 3.393 em 2019 para 10.524 em 2020.

Os cursos EAD da entidade também registraram alta. Em 2019, 98.110 pessoas fizeram as capacitações on-line. Em 2020, o salto foi de 156% para 251.215. O tema legislação aplicada aos pequenos negócios lidera o ranking de cursos mais procurados, seguido pelo de marketing e vendas; serviços financeiros e contábeis; planejamento empresarial e empreendedorismo.

“Em um 2020 tão desafiador o Sebrae esteve sempre ao lado do empreendedor. Apoiamos desde o momento que eles tiveram que baixar as portas e buscar novos canais de vendas, renegociar contratos, se destacar nas redes sociais até a hora da reabertura. Em 2021, vamos intensificar ainda mais essa parceria. Fortalecer as pequenas empresas é fortalecer a economia brasileira”, destaca o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit.

Expectativa

A pesquisa Indicadores do Sebrae-SP entrevistou os donos das micro e pequenas empresas (MPEs) paulistas para saber as expectativas para os próximos meses. Para 47% deles, os próximos seis meses devem ser de faturamento estável. Outros 34% estão otimistas e esperam alta na receita. Já 8% aguardam piora e 11% não sabem.

O levantamento ainda indica uma recuperação dos negócios. Em outubro, as MPEs paulistas registraram uma alta de 3,7% no faturamento em relação a setembro. Trata-se do sexto aumento consecutivo no faturamento, na comparação dos resultados do mês com o mês anterior.

Pequenas empresas criam quase o dobro de vagas a mais que as médias e grandes. Entre julho e outubro desse ano, as micro e pequenas empresas criaram 714,3 mil postos de trabalho em todo o Brasil. Esse número é quase duas vezes maior que o total de empregos gerados pelas empresas de médio e grande porte que, no mesmo período, abriram 364,8 mil vagas. Os dados constam em levantamento feito pelo Sebrae, com informações do Novo Caged do Ministério da Economia, que compila o encerramento e a abertura de vagas em todos o País.

“Esses números comprovam a tese que há muito defendida pelo Sebrae. As pequenas empresas contratam mais na expansão. Por isso é tão importante que desenvolvamos políticas de fomento e crédito para esse segmento vital à economia do nosso país. Elas precisam disso para continuar desempenhando seu importante papel”, ressalta o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

O estudo realizado pelo Sebrae constata, ainda, que entre os meses de março e junho, atipicamente, os pequenos negócios foram os que mais desempregaram na crise econômica provocada pela pandemia, com um saldo de cerca de um milhão de postos de trabalho encerrados, contra 606 mil nas médias e grandes. Apesar disso, a recuperação do setor foi igualmente mais rápida.

No acumulado deste ano, até outubro, as MPE registraram saldo negativo de geração de emprego de 26 mil, quase dez vezes menor que o saldo negativo apresentado pelas médias e grandes empresas, que está em -215,3 mil. O presidente do Sebrae ressalta que, entre julho e outubro, os pequenos negócios voltaram a puxar a geração de empregos no País.

Escrito por:

Francisco Lima Neto

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Homem é socorrido pelo resgate da AB Colinas após pular de ponte da SP-75

Um homem, que aparentava estar transtornado, pulou da ponte localizada na Rodovia Santos D…