Ataques ao STF
“Bolsonaristas driblam bloqueio e seguem atacando STF nas redes sociais” (Poder, 25/7). Esse pessoal dizia na eleição que ia consertar o Brasil. Realmente estamos no fundo do poço.
Rui Simões de Souza (Aracaju, SE)

Há que se diferenciar liberdade de expressão com responsabilidade. O que esse grupo de marginais tem feito mais se assemelha a um ato típico de convocação para a luta armada. A resposta tem que ser dada à altura e na mesma intensidade dos ataques.
Hilário Guimarães (Rio de Janeiro, RJ)

O Supremo Tribunal Federal, eterno garantidor da impunidade a poderosos no Brasil, inova e inaugura o maior sistema de perseguição politico-ideológico de nossa história. O establishment esquerdista não admite liberais e conservadores no poder, simples assim. Nossa Justiça fazendo história, mas de maneira vergonhosa.
Hildebrando Teixeira (Piumhi, MG)

Lava Jato
Assino embaixo! O professor Demétrio Magnoli disse tudo no artigo “Partido da Lava Jato precisa ser extinto para se preservar um sistema judicial apolítico” (Poder, 25/7). São políticos disfarçados de procuradores e juízes, estuprando a Justiça.
Matheus de Magalhães Battistoni (Campinas, SP)

Fica cada vez mais claro que Lula, Dilma e o PT foram alvo de um plano maquiavélico. Mas a verdade vem sendo restabelecida naturalmente. As peças do dominó dos golpistas têm caído uma a uma. Aécio Neves, José Serra, Romero Jucá, Michel Temer, Geraldo Alckmin, Paulinho da Força, Roberto Jefferson, MBL e tantos outros que, ao votarem “sim” para o impeachment de Dilma, se justificavam dizendo “pelos meus filhos”, “pela transparência”, “pelo Brasil”… Agora vemos uma campanha para “estancar a Lava Jato”. O plano maquiavélico está em franco desenvolvimento.
Mario Donizete Pelissaro (Atibaia, SP)

Texto escrito com um canivete. Mas a crítica aos desmandos da Lava Jato chega tarde. Os jornais estimularam o impulso autoritário e arrogante dos procuradores da Lava Jato. Se tivessem percebido isso há cinco anos, talvez não estivéssemos mergulhados até o pescoço na latrina em que nos encontramos agora.
Carlos Antônio Maximino Roquete de Albuquerque (Brasília, DF)


Filme trash
“Governo Bolsonaro tem estoque parado de 4 milhões de comprimidos de cloroquina” (Saúde, 25/7). Caixa de remédio exposta como hóstia, mensaleiro do PTB invocando a Santíssima Trindade a defender o nosso “líder supremo” no Twitter, emas se rebelando… O Brasil de 2020 se transformou num clássico filme trash, daqueles com cenas distópicas e malfeitas, pitadas de comédia e picos de insanidade.
Leandro Isola (Barueri, SP)

Alguém já viu algum presidente da República fazer campanha de algum remédio? E nem sequer ser processado por isso?
David Silva (Serra, ES)

É muito fácil tomar decisões milionárias quando o prejuízo não fica com quem decidiu. O cara compra milhões de comprimidos antes de qualquer decisão científica válida. Estamos pagando pela estupidez de muitos eleitores. E os representantes no Congresso? Estão esperando que o povo resolva nas ruas?
José Lemos da Silva Filho (Guaratinguetá, SP)


Violência policial
“PM enforca jovem negro e o arrasta para fora de casa em novo episódio de violência no interior de SP” (Painel, 25/7). Quero ver fazerem isso com o Queiroz ou com o desembargador bocudo.
Elias Silva (Juara, MT)

Por que não foi assim com o empresário de Alphaville que estava agredindo a mulher e desacatou aos berros os policiais?
Lázaro Azevedo Domeni (Campo Grande, MS)


Antifascistas
“Ação sigilosa do governo Bolsonaro mira professores e policiais antifascistas” (Poder, 25/7). Um completo absurdo! Esses idiotas não entenderam como funciona uma democracia. Estamos rumando firmes a um regime bolivariano de sinal trocado.
Ricardo Ferreira (Salto, SP)

E o Maia dizendo que não há clima para o impeachment.
Antonio Ferreira da Costa Neto (Belo Horizonte, MG)

E quem é antiantifascista é o quê?
Pedro Passos (Brasília, DF)

Um governo altamente reacionário e ideológico, no qual quem pensa diferente não é adversário, e sim inimigo a ser abatido, realmente se assemelha a um governo fascista.
Talvânio José de Oliveira (Varginha, MG)


Trabalho
“Classe média contribui para relações bárbaras de trabalho, diz sociólogo” (Mercado, 24/7). A classe média é uma espécie de “gerente do tráfico” na pirâmide da desigualdade social. Incomodou-se muitíssimo com as políticas compensatórias dos governos de esquerda. É hipócrita, falso moralista e apoia o Jenocida, com J mesmo.
Roberto Maximiano da Cunha (São Paulo, SP)

Em vez apresentar um projeto para tirar o povo da pobreza, vem falar coisas que estão na moda. A classe média está cada vez mais massacrada por esse regime leninista implantado após o regime militar. Foram esses socialistas que levaram o país a esse estado de pré-falência.
João Leite Leite (Osasco, SP)

“… a classe média não se preocupa muito com o pobre.” Isso porque acha que é rica. Mas com Bolsonaro sentirá rapidinho o que é ser pobre.
José Maurício Arcanjo (Belo Horizonte, MG)

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Governo de SP se reúne com cidades que registraram salto nos casos de Covid-19

Reprodução Governo de São Paulo vai se reunir com prefeitos de 62 cidades O Governador de …