A marca, que está sempre em constante evolução, ressalta a importância das descobertas tecnológicas para o aperfeiçoamento dos equipamentos ao longo dos anos

Antes da criação dos materiais de fricção os veículos e máquinas eram parados por equipamentos improvisados como madeira e couro. Foi só em 1897 que as lonas de freio como conhecemos hoje foram criadas, a base de cintas de cabelo e algodão pelo inglês Herbert Frood. Em 1908 o material foi aperfeiçoado através de um tecido de amianto, que se tornou base para o material de fricção nas seis décadas seguintes devido à sua grande resistência a temperatura, flexibilidade, propriedades de fricção e compatibilidade com resinas e outros ligantes.

Segundo Thiago dos Santos Angélica, responsável por formulações no mercado de reposição da TMD Friction, esse tipo de material de fricção foi utilizado por cerca de sessenta anos. “Os materiais de fricção feitos de amianto contribuíram muito para a segurança de automóveis, caminhões e todos os tipos de máquinas móveis em todo o mundo durante muitos anos. Depois disso vieram o desenvolvimento das lonas de freio a tambor, os materiais de fricção feitos pelas indústria de borracha e as lonas de freio metálicas. Foram décadas de evolução até chegarmos à qualidade que existe hoje no mercado”, ressalta.

Com o passar dos anos o amianto se tornou uma matéria-prima cara, com uma propriedade variável, além de causar riscos à saúde quando inalada. Os materiais cotados para sua substituição foram fibra de vidro, fibras minerais, fibras metálicas e, mais recentemente, fibras de carbono e sintéticas. “No início dos anos 80 empresas como a Ford e a Volkswagen começaram a instalar na fabricação dos carros lonas de freio a tambor originais sem amianto, foi uma grande mudança no mercado”, relembra. 

Todo esse progresso resultou na criação de materiais de fricção feitos com tecnologia de ponta e com alta performance. Atualmente os equipamentos da Cobreq são fabricado com mais de 220 matérias-primas como resina, metais, borracha, abrasivos, lubrificantes, cargas além dos insumos ecológicos e reciclados como fibra de vidro, fibra de celulose, borracha reciclada, cavaco e material de atrito, visando seu compromisso com a qualidade, segurança e o meio ambiente.

Para atender as diferentes demandas de performance, mercado, durabilidade, resistência e, é claro, segurança, a Cobreq também faz uso de materiais com alta resistência e desempenho. Segundo Thiago, o uso de insumos como o Carbeto de Silício  — considerada a segunda substância mais dura do planeta  —  e a Aramida  — fibra polimérica mais resistente que o aço  —  são essenciais para a durabilidade e excelência no funcionamento dos mesmos.

“A combinação dessas matérias-primas possibilitam um amplo portfólio de alta qualidade capaz de atender os mais diversos requisitos legais além dos diferentes mercados e públicos. Através do nosso investimento em pesquisa e tecnologia conseguimos não só atender as demandas do mercado como trazer soluções inovadoras para os motoristas, prezando sempre pela excelência e segurança”, afirma.

SOBRE A COBREQ
A Cobreq é uma das marcas do grupo TMD Friction, a maior fabricante de pastilhas de freio do mundo. A empresa desenvolve lonas, sapatas e pastilhas de freio abrangendo veículos das linhas leve, pesada e de motos. Localizada em uma área de 100 mil m², em Salto, interior de São Paulo, a fábrica representa uma das maiores unidades do grupo TMD Friction fora da Europa. Para mais informações, acesse www.cobreq.com.br.

Sobre o Grupo TMD Friction
A TMD Friction, um grupo da Nisshinbo Holdings Inc., é líder global na fabricação de pastilhas de freio para a indústria automotiva. Também fabrica pastilhas de freio a disco e lonas de freio a tambor para aplicações em diversos tipos de veículos. Seu portfólio de produtos também inclui pastilhas de freio esportivas, bem como materiais de fricção para esse segmento. A TMD Friction atende ao mercado global de peças de reposição por meio das marcas Textar, Nisshinbo, Mintex, Don, Pagid e Cobreq, além de desenvolver e produzir revestimentos de fricção para a indústria sob a marca Cosid. O TMD Friction Group tem quatro plantas fabris na Alemanha, além de outras unidades na Europa, nos EUA, Brasil, México, China, Japão e África do Sul. O grupo possui mais de 5 mil colaboradores em todo o mundo. Para mais informações, acesse www.tmdfriction.com.Informações para imprensa:
Alfapress Comunicações
Isabella Lima – Consultora de Comunicação
isabella.lima@alfapress.com.br
(19) 99565-3247

O post Materiais de fricção Cobreq possuem mais de 220 matérias-primas, incluindo ecológicas apareceu primeiro em Cobreq.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Prefeitura de Salto rescinde contrato com empresa responsável pela Zona Azul na cidade

1 de 1 Prefeitura de Salto rescinde contrato com empresa responsável pela Zona Azul na cid…