Entrada da estrutura da Usina Hidrelétrica no Parque de Lavras, em Salto (SP) — Foto: Alex Cardim/TV TEM

Depois da forte chuva do fim de semana na capital paulista, a cidade de Salto (SP) continua sofrendo com o lixo que se acumula às margens do Rio Tietê. Segundo moradores, já virou rotina toda a vez que chove, e não precisa ser muito forte.

O auxiliar de limpeza, Reginaldo Rodrigues, trabalha no Parque de Lavras, local que recebe turistas na cidade. Para ele, é normal ver o lixo acumulado.

“Toda vez que chove, seja fraco ou forte, é a mesma coisa. Todo o lixo vêm de São Paulo e fica parado aqui”, conta.

Lixo se espalhou pela estrutura da antiga Usina Hidrelétrica de Salto (SP) — Foto: Arquivo Pessoal/Reginaldo Rodrigues

Reginaldo lembra ainda que a água chega causar estragos também na Usina Hidrelétrica Porto Góes, uma estrutura que fica próxima ao rio e atrai muitos visitantes.

“Dentro da Usina, a força da água chega a criar buracos e valas de até dois metros de altura no chão. É muito perigoso, pois não sabemos o que tem embaixo da Usina. E se alguém cair?”, questiona o morador.

Nível do Rio Tietê baixa e surge mais lixo nas margens em Salto

Nível do Rio Tietê baixa e surge mais lixo nas margens em Salto

Lúcio Alberto Ramos dos Santos é representante comercial. Ele encaminhou um vídeo ao G1 com a situação da rua 24 de Outubro, que precisou ser interditada. Segundo ele, não é a primeira vez que a rua fica desse jeito.

“Essa rua já foi inundada uns cinco meses atrás e até derrubou partes da ponte. Até agora ela está do mesmo jeito”, afirma.

Rio Tietê transborda e cobre Parque de Lavras de lixo em Salto

Rio Tietê transborda e cobre Parque de Lavras de lixo em Salto

No Memorial do Rio Tietê, a água foi encontrada escura. Garrafas de plástico, capacete, isopor e vários outros materiais ficaram espalhados pelo local. Isso tudo misturado com a água cheia de lama e espuma tóxica, resultado da mistura de sabão e produtos químicos jogados na água. A Defesa Civil continua monitorando a região.

Em nota, a Prefeitura de Salto, através da Coordenadoria da Defesa Civil, informa que a vazão do Rio Tietê nesta segunda-feira (29) é de 200 metros cúbicos por segundo.

A rua 24 de Outubro permanece interditada devido ao acúmulo de lixo, mas a rua Castro Alves está liberada e sem pontos de alagamentos.

A limpeza das áreas afetadas – incluindo o Parque de Lavras – iniciou nesta manhã e deve seguir até terça-feira (30), com as equipes da CSO Ambiental e acompanhadas da Defesa Civil. O aumento no nível do Rio Tietê não atingiu as casas da região.

Muitos materiais ficam acumulados às margens do Rio Tietê em Salto (SP) — Foto: Alex Cardim/TV TEM

Recorde de chuva em São Paulo

Segundo o Instituto Climatempo, as chuvas na região foram reflexo do recorde da cidade de São Paulo para o mês de junho.

Entre a manhã de sexta (26) e a manhã do sábado (27), choveu 89,6 mm em 24 horas. O maior volume de chuva para o mês desde 1961. o recorde anterior era de 74 mm entre os dias 14 e 15 de junho de 1987.

A previsão é que o tempo fique estável na região até a próxima terça-feira (30), quando deve voltar a ter chuva forte em várias cidades por conta de uma nova frente fria que chega ao estado.

Salto permanece em estado de atenção. A Defesa Civil informou que, qualquer ocorrência, os moradores podem acionar as equipes pelo telefone 199 ou 153 (Guarda Civil Municipal).

Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Mesmo sem reagir, homem é esfaqueado em assalto no Jardim Paulistano

A Guarda Civil foi acionado para atender uma vítima de esfaqueamento por volta das  1…