Polícia investiga morte de investigado em Salto — Foto: Reprodução/Facebook

O carro do homem que foi morto por um grupo de moradores antes prestar depoimento sobre o desaparecimento da jovem Priscila Martins, de 18 anos, foi apreendido pela Polícia Civil e será periciado.

O procedimento pedido nesta quarta-feira (15) irá apontar se as marcas no veículo são de sangue e se são da vítima, Alécio Ferreira Dias, ou até de Priscila.

De acordo com o boletim de ocorrência, uma denúncia anônima feita à Polícia Militar informou que um grupo entrou na casa de Alecio, de 41 anos, e o levou para um matagal, no Jardim Santa Cruz, na noite de segunda-feira (13).

Perícia em carro de homem executado antes de depor tenta identificar marcas de sangue

Perícia em carro de homem executado antes de depor tenta identificar marcas de sangue

O corpo de Alecio foi encontrado na rua Álvares Maciel. Conforme o registro policial, ao menos sete tiros foram ouvidos por pessoas que moram na região. A perícia identificou perfurações no rosto, tórax e perna da vítima.

Após o crime, a polícia constatou ainda que fotos de Alecio morto foram compartilhadas por aplicativos de mensagens e redes sociais.

Investigação

Segundo a Polícia Civil, uma informação chegou à investigação no fim da tarde de segunda-feira (13) apontando que Alecio teria sido a última pessoa a ser vista a jovem Priscila Martins, que oficialmente está desaparecida.

No entanto, a polícia investiga a identidade de um corpo encontrado carbonizado em outra área de mata na cidade. Pertences semelhantes ao da jovem desaparecida foram encontrados no local.

A mãe da jovem fez coleta do material genético para um exame de DNA, que será confrontado com o colhido no corpo, no Instituto Médico Legal (IML).

Nenhum responsável pela morte de Alecio e do sumiço de Priscila foram identificados.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

ONG João de Barro abre 185 vagas para cursos profissionalizantes

As inscrições podem ser feitas presencialmente na sede da ONG João de Barro A ONG João de …