Polícia investiga morte de investigado em Salto — Foto: Reprodução/Facebook

A investigação encontrou marcas de sangue no carro do homem que foi morto por um grupo de moradores antes prestar depoimento sobre o desaparecimento da jovem Priscila Martins, de 18 anos.

A perícia irá tentar identificar se o sangue no veículo é da vítima Alécio Ferreira Dias ou até de Priscila.

De acordo com o boletim de ocorrência, uma denúncia anônima feita à Polícia Militar informou que um grupo entrou na casa de Alecio, de 41 anos, e o levou para um matagal, no Jardim Santa Cruz, na noite de segunda-feira (13).

O corpo dele foi encontrado na rua Álvares Maciel. Conforme o registro policial, ao menos sete tiros foram ouvidos por pessoas que moram na região. A perícia identificou ainda perfurações no rosto, tórax e perna da vítima.

Após o crime, a polícia constatou ainda que fotos de Alecio morto foram compartilhadas por aplicativos de mensagens e redes sociais.

Investigação

Segundo a Polícia Civil, uma informação chegou à investigação no fim da tarde de segunda-feira (13) apontando que Alecio teria sido a última pessoa a ser vista a jovem Priscila Martins, que oficialmente está desaparecida.

No entanto, a polícia investiga a identidade de um corpo encontrado carbonizado em outra área de mata na cidade. Pertences semelhantes ao da jovem desaparecida foram encontrados no local.

A mãe da jovem fez coleta do material genético para um exame de DNA, que será confrontado com o colhido no corpo, no Instituto Médico Legal (IML).

Nenhum responsável pela morte de Alecio e do sumiço de Priscila foram identificados.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Mortes por coronavírus nas regiões de Sorocaba e Jundiaí em 21 de setembro

1 de 1 Mortes por coronavírus nas regiões de Sorocaba e Jundiaí em 21 de setembro — Foto: …