Longe das competições este ano, por causa da pandemia do novo coronavírus, os pais atletas poderão curtiu o seu dia de modo bem especial neste domingo (9/8): ao lado dos filhos. Tradicionalmente competições importantes são realizadas no período de final de julho e começo de agosto. Se não fosse o adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio, o evento terminaria neste domingo e a separação ocorreria de novo para os representantes do alto rendimento.
O marchador Caio Bonfim, qualificado para os 20 km da Olimpíada, por exemplo, está curtindo bastante a quarentena ao lado de Miguel, de 1 ano e 1 mês. “Como viajo cerca de 180 dias por ano, estou tendo o presente de sua companhia. É maravilhoso ficar perto do filhão, ver as primeiras palminhas, os primeiros passos, o primeiro aniversário”, lembrou Caio, que mora e treina em Sobradinho (DF).
“No ano passado, quando ele tinha quatro meses, só havia ficado um mês com ele”, comentou o ganhador da medalha de bronze nos 20 km do Campeonato Mundial de Londres-2017, no dia 13 de agosto, justamente num Dia dos Pais. Por isso, dedicou a medalha a João Sena, seu pai e treinador.
Miguel nasceu no dia 26 de junho de 2019, de forma prematura. Precisou ficar alguns dias na UTI neonatal para ganhar peso. Dez dias depois que ele foi para casa, Caio já estava em Cuenca, no Equador, onde fez a preparação final para os Jogos Pan-Americanos de Lima, no Peru, onde ganhou a medalha de prata.
“Não é fácil ser atleta. Você abre mão de tudo. Ver o seu filho crescer, abrir o olho, mamar, trocar fralda, tomar banho e aprender coisas novas apenas por vídeo-chamada é muito difícil”, disse o atleta do CASO, casado com Juliana. “Nesta pandemia, pude treinar e ter a família por perto. Gosto muito de estar junto, sou treinado pelos meus pais e essa convivência é uma força nestes momentos difíceis.”
Apesar da tristeza com tantos doentes e mortos no País por causa da doença, o momento difícil serviu também para deixar as famílias mais juntas. “Foi uma experiência diferente, maravilhosa, mais um motivo para treinar, batalhar e buscar mais resultados na carreira”, completou Caio, que fez apenas duas provas em 2020 – foi campeão da Copa Brasil Caixa, no Recife (PE), e do Sul-Americano de Marcha Atlética de Lima, no Peru.
O mesmo ocorreu com muitos outros atletas como Darlan Romani, Marcio Teles e Thiago André, por exemplo.
Darlan, qualificado para o arremesso do peso, ficou o tempo todo de quarentena em casa, em Bragança Paulista (SP). Chegou até a construir uma área de arremessos ao lado de sua residência e montar uma academia na garagem. “Estou fora do circuito internacional, que teve muitas competições canceladas, e estou curtindo muito a Alice”, disse sobre a filha de 5 anos, fruto de seu casamento com Sara, ex-atleta do salto com vara.
“Muitas vezes estou mexendo no celular, resolvendo algum problema e ela pede para eu parar e brincar com ela. Não tenho nem o que questionar. Vou na hora. Estou curtindo muito a minha família”, completou Darlan, campeão brasileiro, sul-americano, pan-americano, do Mundial Militar e quarto colocado no Mundial de Doha, no Catar, em 2019, além de recordista sul-americano.
Thiago André também aproveita esse período para ficar bem perto de Gabriel, de 5 anos. Ele mora desde o final do ano passado em Mariana, cidade histórica de Minas Gerais, e curte o filho nos intervalos de treinamentos. Casado com Jéssica, ex-atleta campeã brasileira dos 800 m e dos 1.500 m, Thiago passa boa parte do ano em treinamentos e competições no exterior.
“As viagens só foram interrompidas por causa da pandemia. A situação ficou bem difícil, mas tudo tem um lado positivo”, comentou Thiago, finalista dos 800 m no Mundial de Londres-2017 e atleta olímpico dos 1.500 m nos Jogos Rio-2016.
Marcio Teles, qualificado para Tóquio nos 400 m com barreiras, teve um presente com o adiamento da Olimpíada para 2021. Ele pôde acompanhar o nascimento de Calebe, ocorrido no dia 31 de julho. Fruto de sua união com Stephanie Andreza, corredora de 400 m, Marcio pôde acompanhar o dia a dia de seu caçula. Ele tem mais dois filhos de outro relacionamento: João Gabriel, de 7 anos, e Anna Júlya, de 5.
Os treinadores, assim como os atletas, também tiveram essa oportunidade de ficar mais perto da família. Elson Miranda, por exemplo, que ficou este tempo todo em São Paulo, pôde curtir o desenvolvimento de Manuela, de 2 anos, fruto do casamento com Fabiana Murer, recordista sul-americana do salto com vara.
Foto: CBAt/Wagner Carmo

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Boa notícia. Ypê terá fábrica e um centro de distribuição em Pernambuco. Grupo anuncia 700 vagas de trabalho

Nesta quinta-feira (19),  foi assinado protocolo de intenções, no Palácio do Campo da…