Pouco mais de um mês depois do início das flexibilizações do comércio em São Paulo, as internações por covid-19 em hospitais públicos do estado saltaram na última semana. Em algumas unidades, o aumento chegou a ser de 317%.

Os dados foram levantados pelo Info Tracker, grupo de pesquisa da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e da USP (Universidade de São Paulo), junto ao UOL, por meio do Censo Covid-19, plataforma do governo de São Paulo. Os números apontam um crescimento progressivo das internações em leitos voltados para pacientes com covid nos hospitais da Grande São Paulo, do litoral e do interior nos últimos sete dias.

O hospital Emílio Ribas 2, no Guarujá (litoral paulista), por exemplo, tinha seis pessoas internadas com covid-19 na semana passada. Ontem, esse número foi para 25 —aumento de 317%.

A unidade de saúde usada como hospital de campanha para covid-19 em Pindamonhangaba, no interior, também viu o número de pacientes internados com a doença quadruplicar. Eram quatro pacientes na semanada. Até ontem, eram 16 internados (300% de aumento).

Ao menos 21 hospitais registram mais de 100% de aumento de pessoas internadas nos últimos dias.

Hospitais particulares de São Paulo também veem o mesmo cenário. No hospital Albert Einstein, 137 pessoas estavam internadas com covid-19 no último sábado. Ontem, esse número subiu para 167. O hospital não informa a porcentagem de ocupação dos leitos.

Já no Sírio Libanês, a taxa de ocupação de leitos totais do hospital está em 97%. Até ontem, eram 178 pacientes internados com covid-19.

O hospital Oswaldo Cruz está com 91% de ocupação dos leitos voltados para covid-19, segundo o último boletim da unidade. São 138 pacientes hospitalizados em tratamento contra o novo coronavírus.

Governo adia flexibilizações

Levantamentos recentes noticiados pelo UOL já apontaram que os casos e internações por covid-19 estavam aumentando após o vírus ter voltado a circular com mais frequência nas ruas com as flexibilizações anunciadas pelo governo de São Paulo.

A média móvel de casos está em curva crescente desde o dia 8 de maio, e o número de pessoas internadas segue o mesmo caminho, aumentando a cada dia.

Além disso, os atrasos nos envios de insumos para as vacinas do Instituto Butantan e Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz) desaceleraram a campanha de vacinação contra a covid-19 no país.

Diante do cenário preocupante e alertado pelos médicos do Centro de Contingência ao Coronavírus, o governador, João Doria (PSDB), decidiu adiar mais uma vez uma nova leva de aberturas de serviços não essenciais.

Nós tivemos também uma avaliação nesta semana de que não seria ainda o momento de avançar como havia pensado na semana anterior, e hoje nós temos aqui a extensão para continuarmos caminhando dessa forma. Houve um aumento na incidência de casos.
Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Bandidos assaltam farmácia e cliente no calçadão do Cecap

Mais um assalto à farmácia foi registrado. Dessa vez, o roubo aconteceu no Boulevard no ba…