(Foto: ANDREAS SOLARO/AFP)

O sueco Armand Duplantis, de apenas 20 anos, bateu o recorde mundial do salto com vara que já durava 36 anos. Ele superou o sarrafo de 6,15 metros na etapa da Diamond League, em Roma, nesta quinta-feira (17/9) e superou em 1cm a marca do lendário ucraniano Sergey Bubka. A nova estrela da modalidade é grande ameaça ao sonho do brasileiro Thiago Braz de repetir a conquista do ouro olímpicos nos Jogos de Tóquio, em 2021, quando terá 27 anos.

Thiago foi campeão olímpico no Rio, com um salto de 6,03m, batendo o francês Renaud Lavillenie, que, até então, era o atual campeão e recordista olímpico, mas não passou dos 5,98m na final dos Jogos Olímpicos do Rio-2016. Após a façanha, porém, o ciclo olímpico do brasileiro foi apagado. A quarta posição na etapa de Xangai, na China, foi a melhor performance na Diamond League de 2017. Ele voltou a passar em branco na Diamond League em 2018, ano em que o melhor salto outdoor foi de 5,70m.
(Foto: Thierry Zoccolan/AFP)

Apesar de reconhecer a fase ruim na carreira, Thiago não teve dificuldade para conseguir o índice olímpico para Tóquio-2020: saltou 5,80m em prova do Mundial de Doha, na França, em 2019. No ano passado, ele também voltou a conseguir boas marcas: ficou entre os três melhores na etapa de Doha e de Mônaco — essa com a melhor marca deste ciclo olímpico, com 5,92m. Ainda assim, não foi regular. Passou em branco nas etapas de Estocolmo (Suécia), Lausanne e Zurique (Suíça).

Pandemia

Em 2020, a pandemia de covid-19 deixou o atual campeão olímpico em situação ainda mais delicada. Com cortes no orçamento por causa da crise sanitária provocada pelo novo coronavírus, o Pinheiros demitiu o atleta. No retorno das competições, Thiago fez a melhor marca dele no ano com salto de 5,82m, no Meeting Istaf Berlim, na Alemanha, ficando com o terceiro lugar. Após essa competição, o agora atleta do Orcampi/Unimed-SP despediu-se da temporada europeia e não disputou a Diamond League de Roma.
Já Mondo, como é conhecido o jovem sueco, vem abocanhando sucessivas vitórias com larga vantagem aos adversários nas competições das últimas semanas. Nelas, além dos triunfos, Duplantis já vinha tentando bater o recorde mundial. Após as últimas cinco tentativas — o que implicou em 15 saltos —, o sueco passou pela almejada marca, de 6,15m, quebrando uma hegemonia que durava mais de três décadas. Aos 20, Thiago Braz tinha saltado no máximo 5,76m em ambiente indoor. Mas, vale lembrar, o brasileiro não era favorito nos Jogos Olímpicos do Rio-2016 e surpreendeu justamente no principal momento da carreira.

Lendário Sergey Bubka

(Foto: ANDREAS SOLARO/AFP)

O ucraniano Sergey Bubka é considerado o maior saltador com vara de todos os tempos. Nascido em luhank, ele foi ouro nos Jogos Olímpicos de Seul-1998, conquistou seis títulos consecutivos no Mundial de Atletismo e colecionou 35 quebras de recorde: 17 ao ar livre e 18 indoor. 

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

SP: Após 17 dias na UTI, bebê de um ano que engasgou com uva morre em Sorocaba

Nesta terça-feira (24), o bebê de um ano que ficou internado na Unidade de Tratamento Inte…