Eles sugerem a diminuição dos salários, além dos vereadores, do prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e da superintendência do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). O decreto presidencial de calamidade pública, que entrou em vigor na sexta-feira (20), tem duração prevista de 9 meses.

Com o ofício protocolado, caberá aos membros da mesa diretora decidirem se vão ou não atender à solicitação dos parlamentares. Em seguida, a mesa apresenta os argumentos da decisão ao plenário e abre para votação. Atualmente, Salto conta com 17 vereadores, 15 unidades administrativas com 34 secretários municipais, além do prefeito e vice-prefeito. Os recursos gerados com a economia seriam destinados para a rede de saúde municipal no combate ao coronavírus.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Incêndio atinge grande área e assusta moradores do Porto Seguro, em Salto

incêndio em área verde preocupa moradores do Porto Seguro Os moradores do Jardim Porto Seg…