Imagem: Reprodução

Flávio Garcia perguntou se o lanche “X-Marielle” deveria vir “com muitas azeitonas”, gíria usada para se referir a “tiros”

Em uma postagem feita em grupo do Facebook relacionada à Kau Hamburgueria, o policial militar Jonatas Guedes sugeriu a criação de um hambúrguer denominado o “X-Marielle”, em referência à vereadora Marielle Franco executada em março deste ano. Em resposta ao comentário, o vice-presidente da Ordem dos Advogados do Brasil de Salto (SP) Flavio Roberto Garcia perguntou se o lanche deveria vir “com muitas azeitonas”, gíria usada para se referir a “tiros”.  

Em um outro comentário, uma mulher sugere que caso o PM fosse processado por suas declarações, o advogado poderia fazer sua defesa.

A hamburgueria ganhou repercussão negativa após criar o lanche “Maria da Penha”, cujo um dos ingredientes é “repOLHO roxo”, de acordo com o cardápio, em um explícito discurso de ódio e de apologia à violência contra as mulheres.

Procurada pela reportagem do G1, a OAB de Salto afirmou que encaminhará o caso para a Comissão de Ética. Quando procurada pelo GLOBO, a instituição afirmou que não se manifestaria por “interações sociais” realizadas nas redes sociais.

 

Leia mais:
Por que os direitos das mulheres devem ser pauta central na agenda de discussões políticas no Brasil?
O mundo é das mulheres, mas será que elas têm o devido espaço?
A política da violência e a violência política: mulheres nas eleições

Artigos relacionados
Carregar mais por admin
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Confira as manchetes deste sábado, 25 de maio de 2019

Bom dia! Nossa coluna está de volta ao ar. Todos os dias, de segunda a sábado, às 05h30, c…