Bairro Vila São José apresenta relatos de escorpiões. Menino foi picado e morreu (Foto: Moura Nápoli)

A notícia dando conta do falecimento do menino Gabriel da Silveira Moraes, de apenas nove anos, vítima de uma picada de escorpião, no último dia 15 de julho, alerta para o perigo que esse animal peçonhento representa e os cuidados que devem ser tomados por todos, indistintamente. O garoto e seu cão, que moravam na Vila São José, foram picados e faleceram apesar de socorridos.

No bairro onde morava a vítima, a reportagem do Periscópio falou com alguns moradores, que disseram saber do ocorrido com o menino, mas não tem registro do aparecimento de escorpiões. Uma moradora, cujo nome será preservado, entretanto, disse que dois animais apareceram em sua casa.

“Um deles foi a minha gatinha que matou. Durante a noite eu percebi que ela estava brincando debaixo da cama, e no dia seguinte eu vi o bichinho morto. Eu pensei até que era uma lagartixa, mas fui varrer e vi que era um escorpião. Outro, fui eu mesma que matei”, disse.

Outra moradora vizinha disse que em sua casa nunca apareceu nenhum escorpião, mas a preocupação é constante. “Tenho cachorros em casa e não tem como não ficar preocupada, mesmo porque eu trabalho e a casa fica fechada. Se aparecer algum aqui eu nem vou ver”. Ambas disseram que agora a preocupação é constante e que todos devem ficar em alerta em suas casas. 

Por outro lado, a reportagem manteve contato com a Secretaria de Saúde da Prefeitura, que informou que as ocorrências com escorpiões registradas pelo Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) na cidade estão dentro da média anual de notificações e que, de janeiro a dezembro de 2021, foram 481 notificações e de 1º de janeiro até o último dia 22 de julho deste ano, houve o registro de 217 notificações.

Segundo o CCZ, “os escorpiões são animais urbanos e tem presença registrada em quase todas as cidades da região sudeste e em Itu os atendimentos são realizados mediante notificação do munícipe, que recebe a visita de um agente que verifica as possíveis causas do aparecimento, além de informar sobre as medidas protetivas, que evitem novos aparecimentos, bem como acidentes”.

São vários os fatores que contribuem para o aparecimento de escorpiões, sendo que os mais comuns a limpeza de terrenos baldios, obras em prédios ou na rede hidráulica. O CCZ ressalta ainda que “as ações de combate a escorpiões realizadas em Itu seguem a metodologia prevista pelo Ministério da Saúde e pela Superintendência de Controle de Endemias (Sucen)”.

A Prefeitura informa ainda que “quando alguém encontrar um animal peçonhento deve ligar para o setor de animais peçonhentos do CCZ (4023-4334). Quando houver acidentes, procurar imediatamente a UPA – 24h ou o Pronto-Socorro infantil para orientação médica”.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Destaque

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Bolsas de estudo de 100% SENAC: 16 mil oportunidades disponíveis, saiba mais

A formação de um estudante é o momento crucial para definir o tipo de trabalho que a pesso…