Décadas após as mulheres terem sido pioneiras em diversas categorias, as representantes femininas de diversos cargos continuam fazendo histórias com outros marcos importantes.

Em abril deste ano, o efetivo do Banda Regimental do Comando de Policiamento do Interior Sete, de Sorocaba, recebeu  a primeira policial feminina da história, a Soldado PM Ana Stela dos Santos Fidêncio, trompetista e trombonista. “Eu comecei a tocar na escola, com as fanfarras”, recorda. A paixão pela música fez com que ela estudasse, durante cinco anos, no Conservatório Municipal de Tatuí.  Passou pela Banda Marcial de Sorocaba e Orquestra Sinfônica mas há oito anos estava distante dos instrumentos. “Agradeço a paciência que estão tendo comigo”, diz.

Atualmente, a Banda Regimental de Música do CPI-7 conta com um efetivo de 14 músicos, tendo como seu Mestre o 1º Sargento PM Fabiano Aparecido Oliveira, sob o comando do Coronel PM Aleksander Toaldo Lacerda, pertencendo ao Estado Maior do CPI-7 que é chefiado pelo Tenente Coronel PM Glauco Rogério Ribeiro Alves, Subcomandante, Comando este que administra as atividades da Policia Militar em 78 municípios da região.

“A Polícia Militar, muitas vezes, acaba tendo contato com o cidadão apenas em momentos de tensão. Já na Banda conseguimos levar o símbolo da PM como música e alegria. E temos um projeto para levar música para as escolas e aproximar ainda mais a sociedade”, conta Fabiano.

Histórico

  A Banda Regimental de Música do CPI-7 foi criada em 23 de fevereiro de 1934, com um efetivo inicial de 12 músicos, tendo como seu primeiro mestre o 2º Sargento Músico Benedito Pereira de Castro. Na época, a BRM pertencia ao 7º Batalhão de Caçadores sediada na cidade de Itapetininga-SP e no ano de 1935 o Batalhão mudou sua sede para a cidade de Sorocaba.

Desde que foi formada, a BRM tem entre suas atividades a participação em várias solenidades cívicas e militares, abrilhantando formaturas e participando das atividades diárias do CPI-7 e dos cursos de formação administrados pela instituição, realizando retretas com execução de músicas eruditas, marciais, populares e religiosas, participando das semanas de prevenção a acidentes de trabalho das empresas; abrilhantando festas de cunho cívico,  folclórico ou religioso, realizando  apresentações didáticas e cívicas  em escolas da rede de ensino, apresentando-se nas formaturas do Proerd (Programa Educacional de Resistência as Drogas e a Violência ), apresentando se em casas de repouso e asilos num trabalho de musicoterapia e em  hospitais nos eventos de prevenção a doenças, além de promover a boa musica gratuita em locais  públicos em geral, sobretudo cultuando o civismo e o patriotismo. 

A Banda Regimental de música do CPI-7 participou de concursos de Bandas realizados anualmente pelo Corpo Musical da   Polícia Militar, e neles, obtendo destaque ano a ano, alcançando o 1º lugar nos anos de 1697 e 1983.

  Desenvolveu entre os anos de 2008 a 2014, o Programa de Incentivo Musical – “PIM”, programa direcionado às crianças carentes de 08 a 12 anos das escolas próximas do Quartel do CPI-7 com o objetivo de, por meio de atividades musicais, sociais e culturais, aproximar a população da Polícia Militar do Estado de São Paulo, proporcionando conhecimento, agregando cultura e civismo às crianças e adolescentes atendidas pelo programa.

Em sua formação, a banda de música é composta de instrumentos de sopro (flautas, clarinetes, saxofones, trompetes, trombones, trompas, tubas), instrumentos de percussão (caixa, bombo, pratos, bateria americana, etc.) e de instrumentos de elétricos de corda (contrabaixo elétrico, guitarra), bem como sintetizadores de som (teclados) além de músicos cantores. A formação da Banda a partir destes instrumentos pode variar, desde formações para banda militar, banda de Concerto, “big band”, quartetos, quintetos, combos e até formação de conjunto com inserções de músicas cantadas com interpretações de diversos gêneros musicais.

   Dentre os gêneros musicais executadas pela Banda Regimental, em seu repertório variado pode se destacar o samba, a bossa nova, o choro, as MPB, Jazz,  pagode, funk , baião, rock, etc, gêneros estes que a  formação da banda se adequa para atender a cada tipo de evento que participa, com intuito de abranger todos os públicos e gostos musicais de forma a atrair o público e aproximar a sociedade, difundindo práticas de sociabilidade e inserindo todas faixas etárias como público alvo, na busca da aproximação entre Policia Militar e cidadão para assim expor ideais de patriotismo, de prevenção, de segurança, de paz social e desenvolver a confiança do cidadão na instituição Polícia Militar, efetivando soluções de segurança Pública, através do contato direto, amigável, sociável e oportuno.

   A Banda Regimental de Música do CPI-7 foi declarada “Patrimônio Cultural Imaterial” através da Lei Municipal  nº 12.124 de 8 de novembro de 2019, devido o reconhecimento de sua importância  e de seu relevante trabalho em prol da Cultura Musical de Sorocaba, reconhecimento este que eleva o nome da Policia Militar do Estado de São Paulo, instituição que busca através de ferramentas como a Banda Regimental a aproximação e o melhor contato com a sociedade como um todo, propiciando um ambiente favorável ao trabalho de prevenção que é a missão organizacional, bem como  contribuindo com  a filosofia do policiamento comunitário.

  Um marco importante da História da BRM é ter como mestre regente o ilustre musico militar José Barbosa de Brito que assumiu a regência em 08 de outubro de 1938 até dezembro de 1941, período em escreveu uma das suas maiores obras  Dobrado Sinfônico “ETERNA SAUDADE” em homenagem a sua genitora.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Bandidos assaltam farmácia e cliente no calçadão do Cecap

Mais um assalto à farmácia foi registrado. Dessa vez, o roubo aconteceu no Boulevard no ba…