Quer receber as principais Notícias de Salto e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.
Empresa alega a necessidade de tornar a unidade viável economicamente e manter sua capacidade de desenvolvimento de produtos
Campo de Provas da Ford em Tatuí é um dos mais avançados do País
Campo de Provas da Ford em Tatuí é um dos mais avançados do País. Crédito da foto: Divulgação

Funcionários do Campo de Provas (CP) da Ford em Tatuí estão preocupados com o possível fechamento da unidade que completa 41 anos e que, além de pioneiro, já foi um campo de testes mais completos da América do Sul. Depois de fechar a fábrica de São Bernardo do Campo, onde eram produzidos caminhões e o New Fiesta, o temor agora é que a unidade seja desativada ou terceirizada.

Há algum tempo o número de funcionários do campo vem caindo, principalmente depois que foi anunciado o fim da produção de caminhões. Para protestar contra a atual situação os funcionários que restaram entraram em greve setembro. De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de Tatuí, a ideia da montadora seria terceirizar o CP para uma empresa, de tal sorte que outros fabricantes pudessem utilizar as instalações, ocupando a parte ociosa.

Leia mais  Há 40 anos, etanol é alternativa válida para os automóveis

Nesta quinta-feira (21), a Ford confirmou o desligamento de 110 funcionários do CP. Com essas demissões a empresa quer tornar a unidade viável economicamente e manter sua capacidade de desenvolvimento de produtos. Alega também que com o fechamento de São Bernardo, onde eram produzidos os caminhões e o Fiesta, a unidade está subutilizada. Não foi divulgado o número de funcionários que restaram na unidade.

Centro especializado

Por se tratar de um local de testes e desenvolvimento de produtos, o CP de Tatuí sempre empregou funcionários altamente especializados, como engenheiros, técnicos, pilotos e mecânicos de teste e tem um nível salarial bastante elevado.

O Campo de Provas de Tatuí passou a funcionar em 1978, ocupando uma área de 4,66 milhões de metros quadrados, com 60 quilômetros de pistas pavimentadas e fora da estrada para simular os diferentes tipos de piso encontrados nas estradas e ruas brasileiras, com pistas de alta e baixa velocidade, além de rampas com até 30 graus de inclinação.

Leia mais  Honda apresenta a nova CB650R

De acordo com material distribuído pela montadora por ocasião dos 40 anos da unidade, o CP de Tatuí conta com laboratórios para medição de desempenho e consumo de combustível, emissões, evaporação, arrefecimento, frenagem, penetração de água e poeira, corrosão em cabines de névoa salina, nível sonoro interno e externo, dinâmica veicular, suspensão, calibração e desenvolvimento de motores.

Ford produz dois modelos no País

Com o fim da produção de caminhões e do Fiesta, a Ford passou a produzir no Brasil, na planta de Camaçari (BA), apenas dois modelos, o Ford EcoSport e o compacto Ka, em uma variada gama de versões. A picape Ranger, com boa participação no mercado, é fabricada na Argentina. Os demais modelos da marca vendidos no Brasil, como o SUV Edge e o esportivo Mustang, são importados.

A Ford, entretanto, não é a única montadora com problemas no seu campo de provas. A General Motors também vem enxugando as atividades do Campo de Provas de Cruz Alta, em Indaiatuba, que chegou a contar com mais de 700 funcionários entre pilotos de provas, engenheiros, técnicos e funcionários, hoje teria em torno de 150 funcionários. (Adalberto Vieira)

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região

Deixe uma resposta

Leia também

Mais de 100 vagas de emprego são disponibilizadas pelo PAT de Salto

Com objetivo de admitir novos profissionais que buscam ingressar no mercado de trabalho, o…