O trabalho realizado pelo serviço de controle de vetores da Secretaria de Saúde de Itu passou por algumas adaptações, diante do aumento de recusa de vistorias em imóveis. A principal adaptação é o esquema portão a portão, que substitui temporariamente o trabalho que ficou amplamente conhecido como casa a casa.

Essa foi a alternativa encontrada pela Secretaria de Saúde de Itu para continuar o trabalho de combate às arboviroses na cidade, mesmo diante do significativo aumento de imóveis que deixaram de ser visitados após negativa dos moradores, que estão temerosos com o contato físico diante da pandemia de Covid-19.

Por meio desse novo formato de trabalho, toda a orientação sobre criadouros do mosquito Aedes aegypti é oferecida pelos agentes de controle de vetores no portão dos imóveis, mantendo o distanciamento recomendado pelas autoridades em saúde. Essa é uma medida de proteção tanto para os munícipes quanto para os agentes, que realizam o trabalho munidos de álcool em gel para devida higienização.

A aplicação de inseticida, atividade pontual e exclusiva em casos confirmados de dengue, continua nos mesmos moldes. De 1º de janeiro até a semana passada, Itu registrou 24 casos de dengue.

As medidas já adotadas pela Secretaria de Saúde de Itu vão ao encontro das “recomendações aos agentes de combate a endemias (ACE) para adequação das ações de vigilância e controle de zoonoses frente à atual situação epidemiológica referente ao coronavírus (Covid-19)”, previstas em Nota Informativa de autoria do Ministério da Saúde, datada de 26 de março de 2020.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região

Deixe uma resposta

Leia também

Rede de supermercados abre 70 vagas de emprego na região de Sorocaba

Uma rede de supermercados com lojas na região metropolitana de Sorocaba (SP) anunciou a ab…