Diversos relatórios apontam mortandade de peixes, índices em desacordo de coliformes fecais, manganês, ferro dissolvido e fósforo total.

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), por meio da Promotoria de Itu, investiga denúncia de poluição no rio Pirajibu, um dos afluentes do rio Sorocaba. O procedimento teve início em 29 de fevereiro deste ano, foi aberto pelo promotor Bruno Lessa Marinho, e leva em consideração relatos da Promotoria de Meio Ambiente de Sorocaba, referente à mortandade de peixes ao longo do Pirajibu.

 A informação foi confirmada na sexta-feira (9) pelo MP. Na quinta-feira (8), em reportagem exclusiva do Cruzeiro do Sul, foi demostrado o despejo irregular de esgoto in natura — sem qualquer tratamento — em dois córregos que deságuam no rio. Havia informações de que a mortandade, possivelmente, estava relacionada à diminuição nos níveis de oxigênio da água, motivado pela poluição.

Entre as considerações, o promotor considerou o fato de que parte da população de Itu seria abastecida com água captada do Pirajibu. Outro ponto anotado por ele é o fato de que, apesar de a Companhia Ituana de Água e Esgoto (CIS) alegar que realizava monitoramento mensal e não ter registro de mortandade, diversos relatórios apontavam que a água do rio estava com índices em desacordo de coliformes fecais, manganês, ferro dissolvido e fósforo total.

O município de Itu é o investigado no caso. Houve prazo de 30 dias para manifestação. Vale lembrar que dias depois, ocorreu o início da pandemia de coronavírus, o que pode ter influenciado no andamento do procedimento.

Esgoto sem tratamento

Dois pontos com esgoto in natura foram localizados pela reportagem do Cruzeiro do Sul no dia 6 último. Um dos locais é no bairro Portal do Éden, em Itu. O segundo é no quilômetro 82 da rodovia Castelo Branco, e também estaria recebendo dejetos provenientes de Itu. A cidade possui, na região dos descartes, uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) inaugurada em 2018, mas que está inoperante, o que foi confirmado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) na quinta-feira (8).

O Pirajibu desemboca no rio Sorocaba no bairro Vitória Régia, na zona norte de Sorocaba. O Saae Sorocaba tem a intenção de captar água para o consumo do rio Sorocaba. A captação será exatamente na foz do Pirajibu.

Resposta

A Companhia Ituana de Saneamento não se posicionou ao Jornal Cruzeiro do Sul, nem neste questionamento nem no anterior.

A resposta foi dada apenas para o Jornal Periscópio, ao qual informaram que, em 2018,  “após fase de testes, apareceram graves problemas estruturais nos tanques de pré-tratamento, aeração e nos decantadores (todos construídos pela Contern). Sendo assim, uma empresa foi contratada pela CIS para avaliação de todo o projeto e, de acordo com a autarquia municipal, foram encontrados erros graves no projeto aprovado por engenheiros da Águas de Itu. A Prefeitura de Itu e a CIS já estão tratando do assunto judicialmente.”

Nota Jornal de Itu

Qual o motivo de não responderem ao Jornal Cruzeiro do Sul? Os profissionais da CIS são pagos para realizarem o trabalho de informarem a população, que paga seus salários. São servidores públicos! Ao Jornal de Itu, eles não respondem nenhum questionamento há mais de um ano. Deve ser mesmo difícil explicar certas coisas…

Em uma gestão que se diz transparente, deixar de informar à população, de responder à imprensa, e não informar que a ETE nunca funcionou  – é tudo muito obscuro. O que mais nós, imprensa e população, não podemos saber?

(Com informações e fotos de Marcel Scinocca/Jornal Cruzeiro do Sul)

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região

Deixe uma resposta

Leia também

Veículo capota e motorista fica presa no veículo

O Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar atenderam um acidente na tarde desta terça-feira,…