Quer receber as principais Notícias de Salto e região pelo Facebook Messenger? Inscreva-se agora.
Maior parte das desapropriações deve acontecer na zona oeste para a implantação da marginal do córrego Itanguá
Para a construção do viaduto sobre a Itavuvu serão 11 desapropriações. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS

O Programa Ambiental e de Otimização Viária de Sorocaba, também chamado de Avança Sorocaba, prevê 136 desapropriações nas 11 obras programadas. O custo destas desapropriações está estimado em R$ 39 milhões, que serão pagos pelo município. Um processo licitatório foi aberto pela Prefeitura de Sorocaba, em junho. Ele sofreu algumas alterações, inclusive na lista de obras. A ideia é contratar uma empresa especializada para prestação de serviço de supervisão técnica ambiental e gestão social de projetos e obras de infraestrutura, para acompanhar essas obras.

Com relação às desapropriações, conforme o edital em andamento, a maior parte delas está na implantação da marginal do córrego Itanguá, na zona oeste da cidade. São 65 desapropriações em dois trechos, entre as vias Luís Mendes e Adão Pereira de Camargo. Outras três obras apresentam 16 desapropriações cada. A primeira é a ligação da rua Angelo Elias com a avenida Dom Aguirre. A outra é a duplicação da rua Pereira da Fonseca e mais um trecho da Jerome Case. Com o mesmo número de desapropriações, está a obra de demolição da ponte que liga a 15 de Novembro com a avenida São Paulo, incluindo as obras no entorno.

Já para a implantação de viaduto sobre a avenida Itavuvu, ligando as avenidas Edward Fru-Fru Marciano e Ulysses Guimarães, precisarão ser feitas 11 desapropriações. Ela é seguida pela duplicação da avenida 3 de Março, que terá quatro desapropriações. Duas obras na zona sul da cidade, mais as obras dos viadutos de ligação da rua Joaquim José de Lacerda e da avenida Ipanema e da avenida Independência com a Fernando Stecca, terão outras oito desapropriações ao todo. Apenas a implantação do Parque Linear, sobre o córrego Itanguá, não exigirá nenhuma desapropriação.

Leia mais  Câmara aprova projeto sobre divulgação de paralisação de obras públicas

Duração

O processo licitatório também apresenta o prazo de execução das obras. A maior parte delas — seis — apresentam 180 dias para conclusão. A implantação da marginal do córrego Itanguá é a que deve durar mais dias, são 1.080, ou quase três anos. A obra de demolição da ponte que liga a avenida 15 de Novembro com a avenida São Paulo e construção de uma nova tem expectativa de duração de 450 dias. O obra com o menor prazo de duração é a de ligação da rua Angelo Elias com a avenida Dom Aguirre, sendo 120 dias.

Conforme a Prefeitura de Sorocaba, as obras e as desapropriações já estão em andamento. Ainda de acordo com o Executivo, o pagamento das desapropriações são contrapartida do município. O valor aproximado das obras, tanto as financiadas como a de contrapartida, é de R$ 200 milhões.

Leia mais  Com lâmpadas apagadas, pedestres temem passar por viaduto à noite

Licitação

O processo licitatório para contratar a empresa especializada para a prestação de serviço de supervisão técnica-ambiental e gestão social de projetos e obras prevê entrega de propostas e abertura de envelopes no dia 20 de setembro. O custo com o pagamento da vencedora da concorrência pública poderá chegar a R$ 20 milhões. (Marcel Scinocca)

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região

Deixe uma resposta

Leia também

Bebê encontrado em lixão de Itu estava em um saco plástico com parte da cabeça queimada

Um feto de um bebê foi encontrado morto em um lixão na tarde desta sexta-feira (16), em It…