Cidade do Panamá, 24 nov (EFE).- As Américas registraram um aumento de 23% em novos casos de Covid-19 na última semana, com os Estados Unidos e o Canadá liderando o caminho com a maior incidência, informou hoje a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

Na semana passada, houve 880.583 casos e mais de 15 mil novas mortes por covid-19 no continente, o que representou um salto no número de infecções recentes, como destacou a diretora da Opas, Carissa Etienne.

Etienne frisou que a maioria dos novos casos ocorreram na América do Norte, onde os EUA e o Canadá viram um aumento nas taxas de incidência. “Os Territórios Yukon e o nordeste do Canadá viram um aumento de duas a três vezes no número de novas infecções na última semana”, detalhou.

O contágio no Caribe está aumentando, com Trinidad e Tobago registrando os números mais altos desde o início da pandemia. Pelo menos cinco hospitais do país têm mais de 80% dos leitos ocupados.

A América do Sul – com exceção do Brasil, Suriname e Venezuela – também viu um aumento na incidência do vírus SARS-CoV-2, com o maior pico no Equador e Paraguai.

Etienne explicou o caso específico do departamento boliviano de Santa Cruz, onde os casos aumentaram em 400% após greves e protestos que impediram o acesso das pessoas aos locais de vacinação e testes. Ela também destacou o aumento das internações e o crescimento de novos casos entre os jovens nas cidades colombianas de Medellín e Bogotá.

“Estas tendências são bastante reveladoras. Embora os casos de Covid-19 tenham diminuído nos últimos meses, a transmissão continua ativa em toda a nossa região”, alertou. “Cada vez que baixamos a guarda, o vírus ganha força”, completou, referindo-se ao relaxamento das medidas na América Latina.

NOVA ONDA?

A diretora da Opas lembrou que a Europa tem sido uma “janela para o futuro” para prever o que poderia acontecer nas Américas em um curto período de tempo – a dinâmica é refletida semanas depois – depois que os países do continente registraram “números recordes de novos casos”.

Ele destacou a importância da vacinação nessa situação, pois embora 51% da população da América Latina e do Caribe esteja imunizada contra a Covid-19, há 19 países que não atingiram as metas de vacinação de 40% da população em todos os países até o final deste ano e 70% até meados de 2022.

“As decisões que tomarmos nos próximos meses moldarão o ano que vem”, considerou, pedindo que medidas de biossegurança sejam mantidas antes do Natal e do Ano Novo.

Por fim, Etienne disse que as vacinas funcionam e que as medidas de saúde pública são essenciais para controlar a propagação do vírus. EFE

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Conquistas das equipes do Ituano ganham exposição comemorativa

Celebrando as conquistas dos atletas das equipes de Futebol e Basquete Feminino do Ituano,…