Brasileiros que ajudam o próximo em tempos de pandemia — Foto: G1

A vida se transformou por conta da pandemia do novo coronavírus: os hábitos mudaram, um novo estilo precisou ser adotado, e muitas dificuldades se sobressaíram. E em meio a tudo isso, a solidariedade foi algo que teve um grande destaque nesses novos tempos.

A preocupação com o outro ganhou os holofotes: ajudar passou a ser prioridade na vida de muitos brasileiros. Seja com um gesto de carinho, com a doação de algum alimento, de algum produto de limpeza, de alguma roupa ou até mesmo uma máscara de proteção.

A estudante Larissa Neves Camargo teve essa iniciativa em Santa Catarina. Ela organizou uma “estante solidária” para arrecadar doações às pessoas que estão passando por necessidades por conta da pandemia em Joinville. No móvel há o seguinte recado: “Pense positivo, seja otimista, faça o bem, construa o futuro.”

Jovem monta estante solidária para ajudar quem precisa em Joinville

Jovem monta estante solidária para ajudar quem precisa em Joinville

“Vejo muita gente falando que quer ajudar e muitas vezes não sabem como fazer. Só que as pessoas têm fome e estão precisando de ajuda agora. A estante facilita também para quem possa ver e ajudar. […] Eu acho realmente que podemos mudar a vida das pessoas com um quilo de alimento porque além de suprir a fome da pessoa eu acho também que dá esperança”, contou Larissa.

Estante solidária em Joinville — Foto: Reprodução/ NSC TV

Um casal de Belo Horizonte também resolveu ajudar quem precisa e criaram a “lojinha solidária”, um espaço montado na calçada da casa deles. Ficam à disposição alimentos, produtos de higiene, roupas e calçados para quem quiser pegar.

“Nesta quarentena, longe dos meus netos, foi uma forma de amor que encontrei. É aquela história, né? Doar faz bem para quem recebe e mais ainda para quem doa!” […] Nada paga ver a alegria de uma mãe ou de um pai levando alimento para casa”, disse Vanessa.

O marido de Vanessa, Taine Cevidanes, é um dos responsáveis por organizar as prateleiras. — Foto: Arquivo pessoal

Em São José dos Pinhais (PR), a dona de uma padaria se uniu a voluntários e criou uma “geladeira solidária”, com marmitas individuais e outros alimentos para ajudar quem precisa.

“Eu acho que, hoje, o ser humano é muito desumano. A diferença social é muito grande. Então, às vezes, pequenos gestos podem transformar outras pessoas. E esse é o meu objetivo, tentar transformar pessoas”, destacou Elisângela.

Geladeira solidária em São José dos Pinhais

Geladeira solidária em São José dos Pinhais

Já em Cabedelo, a geladeira é recheada de produtos de higiene – é possível encontrar luvas, máscaras, álcool em gel, água sanitária, sabão e roupas. “Você chega, e se serve como se estivesse em casa, e isso dá mais liberdade para as pessoas virem buscar aqui”, explicou Darloza.

Projeto 'Geladeira Solidária' doa produtos de higiene

Projeto ‘Geladeira Solidária’ doa produtos de higiene

Em Santos, duas amigas decidiram montar um ‘carrinho solidário’. “Eu sempre tive essa vontade de ajudar, mas não sabia como, até que vi a publicação e decidi fazer aqui perto de onde moro”, disse Roberta.

“Decidi compartilhar uma foto do carrinho e, de repente, muita gente começou a ajudar, a divulgar e entregar doações. A gente se reveza para arrumar o carrinho, as doações, mas tem chegado muita coisa. A intenção é essa, incentivar as pessoas a se inspirarem e espalharem a ação”, contou Roberta.

Amigas montaram ‘carrinho solidário’ em praça de Santos, SP — Foto: Arquivo Pessoal

Voluntários de ONGs também estão colocando alimentos e produtos de higiene em um “varal solidário” para moradores de rua se protegerem do coronavírus em Jundiaí (SP).

Voluntários de Jundiaí criam 'varal solidário' para ajudar moradores em situação de rua

Voluntários de Jundiaí criam ‘varal solidário’ para ajudar moradores em situação de rua

Moradores de um condomínio de prédios de Salto (SP) arrecadaram mais de 250 quilos de itens de higiene, limpeza e alimentação através de uma gincana. Danilo, um dos moradores, colocou várias caixas de arrecadação nas quatro torres, visando ajudar os mais necessitados em meio à pandemia. E a moradora Silvia resolveu incentivar a solidariedade com a competição.

“A torre que mais doasse alimentos concorreria a brindes. Inclusive, esses brindes foram doados pelos próprios moradores”, contou Silvia.

Moradores de condomínio se unem para arrecadar alimentos em Salto

Moradores de condomínio se unem para arrecadar alimentos em Salto

Já em Juiz de Fora, os moradores de um condomínio do Bairro São Pedro conseguiram montar cestas básicas para distribuir. Rafael Neiva foi um dos idealizadores da ação, colocou caixas na portaria do condomínio e fez contato com quase dois mil moradores por meio de aplicativos de conversa.

“Eu pensei: se está ruim para mim, imagina para as pessoas que dependem do trabalho do dia a dia para ganhar dinheiro, para comer”, destacou Rafael.

As famílias beneficiadas receberam as cestas básicas, com itens como arroz, feijão e óleo, além de um kit de higiene pessoal e limpeza.

Moradores de condomínio montam cestas básicas para famílias em Juiz de Fora — Foto: Rafael Neiva Chartouni/Arquivo pessoal

O chamado “Varal do Amor” está ajudando muitas pessoas em Vassouras (RJ). A Jeane é uma das responsável por essa iniciativa e conta que já distribuiu muitas peças. “É muito gratificante dizer em nosso grupo que espalhamos o amor, amor ao próximo!”, relatou.

Varal solidário deixa máscaras a disposição da população em Vassouras. — Foto: Reprodução/Redes Sociais

Em Florianópolis, a nutricionista Manuela Vieira pendurou dezenas de máscaras de proteção na entrada do Terminal de Integração do Centro (Ticen) para distribuir de forma gratuita aos passageiros. E reforça a orientação na placa: “Pegue uma máscara no varal e se proteja e proteja ao próximo. Com responsabilidade individual vamos vencer a luta contra o Covid-19”.

Manuela Vieira fez um varal com as máscaras no Ticen em Florianópolis — Foto: Diorgenes Pandini/ NSC

Em Jaboatão dos Guararapes, o varal de máscaras fica entre duas árvores e tem um cuidado todo especial: foi ideia da professora aposentada Tereza Cristina.

“Tive ideia de fazer o varal. Só que as pessoas perguntavam o preço, aí coloquei o aviso de que podem levar. […] Se eu me protejo e ajudo o outro a se proteger, todos nós estamos protegidos”, afirmou Tereza.

CORONAVÍRUS

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Salto e Porto Feliz anunciam locais para vacinação e pré-agendamento

As cidades de Salto e Porto Feliz deram as primeiras informações sobre as vacinações nos m…