Estados terão hospitais de campanha para tratamento do coronavírus

Estados terão hospitais de campanha para tratamento do coronavírus

A Prefeitura de São Paulo deve inaugurar no dia 6 de abril o hospital da campanha que está sendo erguido no Centro de Exposições do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista.

O hospital faz parte da estratégia para conter o avanço do número de casos de coronavírus na cidade, que tem a expectativa de um pico de doentes com o novo vírus em meados de abril. A ameaça tem levado órgãos públicos do País inteiro a criar com rapidez novos leitos de UTI, para atender os casos graves de pacientes diagnosticados com a doença.

Por isso em São Paulo o maior centro de exposições do Brasil, o Anhembi, está sendo convertido em um grande hospital de campanha da Prefeitura de São Paulo, com várias camas. Serão 1.800 leitos de baixa e média complexidade, para pacientes com o covid-19 encaminhados por prontos socorros e unidades básicas de saúde (UBSs).

De acordo com a Prefeitura de São Paulo e o Governo de São Paulo, o estado deve criar 3.400 mil novos leitos na capital e no interior para atender pacientes com covid-19. Desses leitos, 1.400 são de UTI e 2.000 são leitos de baixa e média complexidades.

O número de pacientes graves com a covid-19 internados em UTIs em São Paulo deu um salto de 42% no estado, segundo o Secretário de Estado de Saúde, José Henrique Germann.

“Os pacientes graves internados em UTI são agora 84. Neste último dia houve um acréscimo de 42%. Isso é mais ou menos característico da epidemia, ela tem dias de mais acréscimo e dias de menos acréscimo. Mas ela vem crescendo, o que mostra talvez para nós que as medidas de restrição de mobilidade estão sendo suficientes ou, pelo menos colaborando de forma bastante efetiva, para que a gente tenha 862 casos”, afirmou Germann.

Outro hospital de campanha bem adiantado em São Paulo é no estádio do Pacaembu. As obras no local estão avançadas e já tem divisórias para 200 leitos. A prefeitura não precisou a data da conclusão do hospital, mas deu prazo de no máximo 10 dias para conclusão do espaço. A unidade atenderá pacientes de baixa complexidade e contratará 599 enfermeiros.

O Hospital Albert Einstein, que há exatamente um mês recebeu o primeiro paciente do Brasil com covid-19, reforçou o número de funcionários e está dobrando o número de leitos na UTI na capital paulista. Alguns pacientes vão ser atendidos em um hospital de campanha, que está sendo erguido no estacionamento do hospital.

Segundo o Albert Einstein, 65 pessoas estão internadas atualmente com o novo coronavírus no hospital. Pelo menos 16 pacientes estão na UTI.

“São os pacientes que necessitam de algum apoio a mais, principalmente na parte de insuficiência respiratória. E que pode ser tratado com catéter, com máscaras ou até com ventilação mecânica”, afirma o presidente do Albert Einstein, Sidney Klajner.

Outros estados como Bahia, Rio Grande do Sul, Goiás e Minas Gerais também estão seguindo esse caminho e criando novos leitos hospitalares para receberem os pacientes com o covid-19.

Demanda por UTIs com a evolução da epidemia de Covid-19/São Paulo — Foto: G1/Editoria de Arte Demanda por UTIs com a evolução da epidemia de Covid-19/São Paulo — Foto: G1/Editoria de Arte

Demanda por UTIs com a evolução da epidemia de Covid-19/São Paulo — Foto: G1/Editoria de Arte

Mapa dos casos de coronavírus no Brasil — Foto: Arte G1 Mapa dos casos de coronavírus no Brasil — Foto: Arte G1

Mapa dos casos de coronavírus no Brasil — Foto: Arte G1

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Notícias

Deixe uma resposta

Leia também

Halle Berry rebate críticas ao vídeo de seu filho de 6 anos usando salto alto

Contágio progressivo Infectologista-chefe da Santa Casa de Bagé: “Todo mundo vai ent…