O Ministério Público de Itu instaurou inquérito civil para apurar a falta de acessibilidade na obra de revitalização do Centro, na Rua Floriano Peixoto. O Jornal de Itu fez uma reportagem sobre isso, mostrando a Ronda da Acessibilidade.

Segundo representação formulada por representantes da ONG Associação dos Corredores Reunidos de Itu Adaptados e Portadores de Deficiência, a entidade recebeu diversas reclamações de pessoas cegas e cadeirantes, quanto à revitalização feita pela prefeitura em 2020, pois a reforma não atenderia às exigências legais quanto à acessibilidade, dificultando o trânsito dessas pessoas portadoras de necessidades especiais, colocando em risco a segurança das mesmas.

O Secretário Municipal de Segurança, Trânsito, Transporte e Mobilidade Urbana e Rural informou que a obra foi realizada através de empresa especializada em mobilidade urbana, para melhorias do trânsito, acessibilidade e mobilidade do local.

O Diretor da Escola SENAI de Itu, consultado sobre a possibilidade de realização de estudo técnico para identificação de eventuais obstáculos de acessibilidade e circulação dos portadores de necessidades especiais e apontar soluções, informou a Promotoria de Justiça que poderá realizar o estudo, sugerindo uma audiência com o Poder Público local.

“Agora vamos pedir a participação de representantes das P.c.Ds em todo processo: reuniões deliberativas, decisões e na vistoria final”, explica Armando Buch Pastoriza, que conta que antes de procurar o MP enviou um ofício para a Prefeitura, mas segundo ele, não teve nenhuma resposta.

.

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Leia também

Novotec tem vagas para cursos gratuitos de qualificação em Itu

A prioridade é para estudantes com idades entre 14 e 24 anos O Governo de São Paulo, por m…