Alunos da rede pública municipal de Itu terão direito a um cartão alimentação, enquanto não houver o retorno pleno das aulas. É isso que determina um projeto de lei de autoria do prefeito Guilherme Gazzola encaminhado nesta semana à Câmara dos Vereadores.

Cada cartão alimentação será recarregado mensalmente com o valor equivalente a R$ 55 (cinquenta e cinco reais) por aluno, exclusivo para compra de gêneros alimentícios. Os pais deverão retirar o cartão nas escolas de seus filhos, mas não informada a previsão para que isso ocorra.

A Prefeitura não explicou o motivo da demora de três meses para a ação, feita em cidade vizinhas desde o início da pandemia. Em Indaiatuba, desde março, alunos inscritos no Bolsa Família recebem um kit alimentação. Em Salto, desde abril foi desenvolvido um kit merenda para os alunos mais vulneráveis.

A votação no Legislativo deverá ocorrer na segunda-feira (29/06), em sessões extraordinárias. A Prefeitura arcará com os recursos utilizados para as recargas, assim como será responsável pela contratação da empresa responsável pela confecção e funcionamento dos cartões. A municipalidade não esclareceu quanto custará todo o trâmite aos cofres públicos.

O projeto de lei tem como referência o Programa Merenda em Casa do governo estadual. Alunos maiores de idade, pertencentes à EJA (Educação de Jovens e Adultos) Municipal, também são amparados pelo projeto redigido pelo prefeito e terão o cartão em seus próprios nomes. O projeto não impõe nenhuma restrição a famílias que não precisem do auxílio.

Texto: Rosana Bueno com informações da Prefeitura de Itu

Artigos relacionados
Carregar mais por - redação
Carregar mais em Região

Deixe uma resposta

Leia também

Atleta de Burkina Fasso bate recorde mundial indoor do salto triplo

O atleta Hugues Fabrice Zango bateu o recorde mundial indoor do salto triplo, ao alcançar …